Migração, Exclusão e Resistência

«Tendency» (Tiago Carneiro, 30’, 2017)

 

Vistas da instalação «Migração, Exclusão e Resistência», integrada na exposição «Incerteza Viva: Uma Exposição a partir da 32.ª Bienal de São Paulo» (Museu e Parque), Museu de Arte Contemporânea de Serralves. Fotos: Filipe Braga, © Fundação de Serralves, Porto.

Vistas da instalação «Migração, Exclusão e Resistência», integrada na exposição «Incerteza Viva: Uma Exposição a partir da 32.ª Bienal de São Paulo» (Museu e Parque), Museu de Arte Contemporânea de Serralves. Fotos: Filipe Braga, © Fundação de Serralves, Porto.

Vistas da instalação «Migração, Exclusão e Resistência», integrada na exposição «Incerteza Viva: Uma Exposição a partir da 32.ª Bienal de São Paulo» (Museu e Parque), Museu de Arte Contemporânea de Serralves. Fotos: Filipe Braga, © Fundação de Serralves, Porto.

Vistas da instalação «Migração, Exclusão e Resistência», integrada na exposição «Incerteza Viva: Uma Exposição a partir da 32.ª Bienal de São Paulo» (Museu e Parque), Museu de Arte Contemporânea de Serralves. Fotos: Filipe Braga, © Fundação de Serralves, Porto.

«Migração, Exclusão e Resistência» (pormenor de planta) Foto: Pedro Magalhães

«Migração, Exclusão e Resistência» (pormenor de planta) Foto: Pedro Magalhães

«Migração, Exclusão e Resistência» (pormenor de planta) Foto: Pedro Magalhães

«Migração, Exclusão e Resistência» (pormenor de planta) Foto: Pedro Magalhães

«Migração, Exclusão e Resistência» (pormenor de planta) Foto: Pedro Magalhães

«Migração, Exclusão e Resistência» (pormenor de planta) Foto: Pedro Magalhães

«Migração, Exclusão e Resistência» (pormenor de planta) Foto: Pedro Magalhães

«Migração, Exclusão e Resistência» (pormenor de planta) Foto: Pedro Magalhães

«Migração, Exclusão e Resistência» (pormenor de planta) Foto: Pedro Magalhães

«Migração, Exclusão e Resistência» (pormenor de planta) Foto: Pedro Magalhães

 
«Migração, Exclusão e Resistência» uma instalação constituída por plantas alimentícias não convencionais. Inclui uma peça sonora de Tiago Carneiro, «Tendency», produzida para esta instalação, um conjunto de registos e composições de síntese eletrónica, referências a autores como Joel Fajerman e gravações de campo do Parque de Serralves.

Carla Filipe (n. 1973) vive e trabalha no Porto. É licenciada em Escultura e mestre em Práticas Artísticas Contemporâneas pela FBAUP. Entre 2003 a 2007 foi cofundadora do Salão Olímpico e do Projeto Apêndice.
Frequentou as seguintes residências artísticas: ACME Studios (Londres, 2009) pela Fundação Calouste Gulbenkian; AIR Antwerpen (Antuérpia, 2014), uma colaboração com a Kunsthalle Lissabon; Robert Rauschenberg (Flórida, 2015); e Krinzinger Projekte (Viena, 2017). Participou nas seguintes bienais: 32.ª Bienal de São Paulo (2016), 13.ª Bienal de Istambul (2013), Les Ateliers de Rennes (2012), V Bienal de Jafre (2011), Bienal Manifesta 8 (2010).