Sonoridades (Fevereiro a Dezembro de 2015)

Esses sons que nos seduzem…

Esses sons que nos seduzem, espaços cósmicos povoados por intangíveis, formas mutantes e efémeras, fumarolas de ideia, etéreos e permanentes, fabricados para o prazer do ouvido, os sons esfumam-se e desaparecem, deixando traços na memória, moldando a imaginação… 
Artigo → “Esses sons que nos seduzem…”

O Pêndulo de Reich: Desaceleração Intensiva

Pendulum Music (1968) de Steve Reich1, é uma peça na qual o tempo do relógio é fundamental no desenvolvimento da noção de desaceleração em música. Aí, Reich explora o feedback enquanto mecanismo de produção de som, bem como o movimento e suas implicações musicais. 
Artigo → “O Pêndulo de Reich: Desaceleração Intensiva”

Rádio, Arte e Política: Uma Conversa com Mauro Sá Rego Costa

Mauro Sá Rego Costa, de quem publicámos neste número da Interact o artigo «O Rádio como Corpo sem Órgãos», é professor associado da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Doutorado em Educação (UFRJ, 1994) e mestre em comunicação (UFRJ, 1983). 
Artigo → “Rádio, Arte e Política: Uma Conversa com Mauro Sá Rego Costa”

A Estética da Opacidade na Lírica Feminina Musical: O Embate Indissolúvel entre o Analógico e o Digital nos Ecos da Alteridade

Este trabalho objetiva elucidar elementos comparativos entre a estética musical de duas compositoras da música popular contemporânea: Elizabeth Fraser (cantora escocesa) e Adriana Calcanhoto (cantora brasileira). O estudo comparativo pretende analisar como as duas artistas empregam um filtro interpretativo feminino contemporâneo para se compreender a realidade do mundo. 
Artigo → “A Estética da Opacidade na Lírica Feminina Musical: O Embate Indissolúvel entre o Analógico e o Digital nos Ecos da Alteridade”

Dos Lugares Invisíveis

A invisibilidade do som é uma das razões pelas quais os projetos de planeamento urbano negligenciam uma reflexão sobre as variáveis acústicas, mas a qualidade do ambiente sonoro é um tema universal e é algo que nos afecta a todos. 
Artigo → “Dos Lugares Invisíveis”

Dispositivos Sonoros: O Uso de Gravações de Som como Ferramenta Metodológica para a Compreensão das Relações entre Sonoridades, Espaços e Eventos

O trabalho discute o uso de gravações de som como ferramenta metodológica para investigação das relações sonoridades/espaços. Procura estabelecer conexões entre arte e ciência, relatando o processo de composição de dispositivos sonoros que oferecem formas audíveis de conhecimento. 
Artigo → “Dispositivos Sonoros: O Uso de Gravações de Som como Ferramenta Metodológica para a Compreensão das Relações entre Sonoridades, Espaços e Eventos”

O Som em Bits: A Repercussão das Plataformas Digitais na Música

A rapidez e eficiência do armazenamento e transmissão de matéria por via digital coaduna-se com o estado primário de união dos espíritos que a música e a cultura oral pareciam oferecer. Contudo, a actividade contemporânea de «ouvir música» tornou-se uma experiência seccionada, codificada pela semântica dos géneros musicais e das teorias da classificação. 
Artigo → “O Som em Bits: A Repercussão das Plataformas Digitais na Música”

O Naufrágio como Metáfora da Contingência: Um Ensaio a partir de «The Sinking of the Titanic» (1969) de Gavin Bryars

Entre os relatos dos pavores que tornariam inesquecível o naufrágio da noite de 15 de Abril de 1912, houve uma imagem redentora: a da pequena orquestra que terá tocado até ao último momento possível, enquanto o Titanic se afundava.  
Artigo → “O Naufrágio como Metáfora da Contingência: Um Ensaio a partir de «The Sinking of the Titanic» (1969) de Gavin Bryars”

Pareidolia: Glitch-Evento, Metodologia e Espectro

O mundo atual desdobra-se num conjunto de dispositivos, técnicos, tecnológicos e de mediação espectral, rádio, TV, net das coisas e dispositivos móveis, assente numa lógica de operatividade performativa, regular, sincronizada, onde o erro é o desvio que se tenta anular, numa procura de controlo dos mecanismos e dispositivos que o geram e permitem, perpetuando este estado de funcionalidade anti-entrópica e anti-redundante. 
Artigo → “Pareidolia: Glitch-Evento, Metodologia e Espectro”